quinta-feira, 24 de abril de 2014

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Por aí ... | Escapadinha de Páscoa #2

Após muitas indecisões, o destino está escolhido e vamos já amanhã.
Com o lema "Vá para fora cá dentro!", nos próximos 2 dias vamos andar por aqui:




E promete muitos passeios, lindas paisagens, muita calma, bons petiscos ... e, o mais importante, muito "arejo" {porque estas cabecinhas bem andam a precisar}!

Têm conselhos para nós? O que ver, onde ir, onde petiscar {preferencialmente sítios mesmo típicos} em Trás-os-Montes e no Alto Douro?

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Sweet L♥VE | O trabalho mais difícil do mundo

Só eu é que ainda não tinha visto estas entrevistas de emprego? *



Acredito que o trabalho mais difícil e mais cansativo do mundo seja também o mais compensatório!
Digam lá de vossa justiça, que eu ainda não estou habilitada a pronunciar-me...



* Confesso que o vídeo já me tinha passado 500 vezes à frente dos olhos, mas nunca tinha tido curiosidade de o abrir...

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Pecado da Gula | Peitos de Frango recheados com Morcela e Ananás






Dificuldade: Fácil  |  Tempo: 60 minutos  |  Porções: 4 pessoas
Preço de custo: 5,60€


Ingredientes:
  • 4 peitos de Frango
  • 1/2 Morcela de sangue
  • 1 lata de Ananás em calda {ou ao natural, deve ficar ainda melhor}
  • 2 dentes de Alho
  • Ervas aromáticas {usei ervas de Provence} 
  • Sal e Pimenta q.b.
  • 1/2 Limão espremido
  • 1 folha de Louro
  • Azeite q.b.
  • Vinho branco q.b.

Confecção:

Cortar os peitos de frango a meio, deixando uma das extremidades unida. Com alguma antecedência, temperá-los com sal, pimenta, ervas, limão e alho, do lado exterior.

Recheá-los com fatias de morcela e fatias de ananás. Unir as extremidades com um palito.

Levá-los a uma frigideira com o azeite, a folha de louro e o alho, até que fiquem douradinhos de ambos os lados. Depois de dourados, adicionar um pouco de vinho branco, tapar a frigideira e deixar cozinhar.

Destapar a frigideira, baixar o lume e deixar evaporar um pouco do álcool.

Retirar os peitos de frango e corar 4 rodelas de ananás no molho.

Servir cada peito de frango sobre uma rodela de ananás.



Servi com arroz branco e espinafres salteados com azeite, muito alho e um pouco de morcela.


~~~~~~~~


Nós por cá adoramos!!!! Eu gosto de juntar sabores doces e salgados e adoro fruta com a carne, portanto, para mim, este prato foi perfeito. O T. também apreciou imenso e fartou-se de elogiar {e comer...}. 
Gostamos tanto que, na verdade, desta receita que chega perfeitamente para 4 pessoas, não sobrou nada! Ficávamos bem apenas com um peitinho {não eram grandes}, mas a gula falou mais alto.



Estamos mesmo a precisar de reformar esta cozinha... Vejam só o pratinho rachado, em que só agora estou a reparar... :)

Por aí ... | Escapadinha de Páscoa





O T. faz anos na próxima semana e, tendo sempre dificuldade em escolher algo para lhe oferecer, lembrei-me que uma escapadinha de 2/3 dias era uma opção agradável que, certamente, ele iria apreciar.
No entanto, queria ficar-me pelo Norte de Portugal ou Espanha {mas na zona aqui perto de Caminha/Valença}, por várias razões: não perdemos tempo {o pouco que temos} em viagens grandes, economizamos no combustível e portagens {que já dá uma folga maior para outras coisas como dormida e alimentação}, aproveitamos para conhecer o que está relativamente perto e que, por isso, fica sempre para segundo plano....
Mas, não sei bem por que zona optar... Lembrei-me de Trás-os-Montes, que gostava que ele conhecesse e eu aproveitava para rever a zona que "me viu nascer" e conhecer cantinhos por lá que ainda não conheço.  Douro também seria, certamente, uma boa aposta... Pensei na zona de Aveiro ou de Guimarães... Galiza {Espanha} também é opção... {a pensar essencialmente nas tapas :p}

Mas especificamente onde? Têm ideias maravilhosas para me dar? Sítios que já visitaram e gostaram... o local de onde são {e que por isso terão dicas fantásticas para mim}...?!
E para dificultar ainda mais, tem de ser um sítio onde consiga encontrar alojamento relativamente barato.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Querido Diário | 79!!!

Há coisas fantásticas! Mas esta é brilhante!!
Emocionei-me, confesso!




E depois há coisas meias parvas. Como julgar pela aparência... e fazer comentários e expressões totalmente desprovidos de respeito para com pessoas desta idade {fosse a Sra ter uma boa ou má prestação..., não interesa}. E parece que, passado este tempo, o Simon esqueceu a lição "Susan Boyle"!


domingo, 13 de abril de 2014

Pecado da Gula | Vai ser uma Páscoa muito doce

Andam às voltas a pensar no que vão colocar na mesa de Páscoa?
Cá vão as minhas sugestões:



Pequenos docinhos:

Bolinhos do Paraíso
Doce conventual de Gemas e Amêndoa

Beijinhos de Côco

Cenourinhas



Outros maiorzinhos:

Coelhinho ocupa o ninho
Bolo de Amêndoa com cobertura de Glacê

Ninho de Páscoa
Bolo de Cenoura com cobertura de Chocolate e Fios-de-ovos


E os "clássicos":

Pão-de-Ló de Ovar
Quem lhe resiste?!



sábado, 12 de abril de 2014

Pecado da Gula | Novas leituras, novos sabores #4


Neste dia vieram comigo apenas {incrível!!} este dois:


book.it  |  12€ {com desconto de 40%}


book.it  |  12€ {com desconto de 40%}

Foram os eleitos porque apresentam soluções práticas para o dia-a-dia, sem ingredientes difíceis de encontrar e as receitas são de fácil e rápida preparação.
Confesso que já os tinha folheado algumas vezes, mas não me chamaram muito a atenção. Mas, depois de no dia anterior me sentar a folhear com calma o "Feito em Casa" da Bunyssa, mudei de opinião. São realmente práticos para as refeições do quotidiano e era isso mesmo que precisava, para quando a imaginação me trai, porque livros mais específicos e com receitas mais elaboradas já tenho bastantes {na estante e raramente lhes "pego", é verdade...}.


E de maneira que já só falta este para concluir a bibliografia da Joana Roque:


Mas jurei a mim mesma que só o compro depois de experimentar algumas receitas dos dois que já tenho.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

África Minha | Angola - visita guiada #1


Angola está-me no sangue.
Os meus avós paternos viveram lá entre 1953 e 1975, passando por várias terras, um pouco por todo o território de Angola, onde nasceram 3 dos 4 filhos {entre eles o meu pai}. Desde sempre me lembro de ouvir as calorosas, entusiasmadas, saudosas, mas também perigosas {algumas} histórias e peripécias. Os meus avós quiseram que os netos conhecessem aqueles anos inesquecíveis da{s} sua{s} vida{s} e Angola sempre foi tema de conversa e interesse em qualquer convívio familiar. Embora nas suas histórias figurasse uma Angola completamente diferente da actual {e sempre tive consciência disso}, foi aí que começou o meu fascínio por África , nomeadamente por Angola.
Há alguns anos o meu pai voltou para lá, por onde foi ficando até agora. Com o pai a viver em Angola surgiu a oportunidade de finalmente concretizar o sonho de conhecer um bocadinho melhor esse {grande} cantinho.

A viagem que vou descrever-vos foi realizada na Páscoa de 2012, mas, na realidade, a sua planificação começou um ano antes, em 2011. Todas as fases foram sendo descritas no Me7ades...
No entanto, em 2011, eu e mano esperámos pelo visto necessário à viagem até ao dia do voo, mas não conseguimos... É um processo bastante complicado {embora agora esteja um bocadinho mais fácil} {podem acompanhar o processo e respectivas dificuldades aqui e aqui}.
Em 2012 finalmente conseguimos os vistos {aqui e aqui}.
No dia 28 de Março começou a viagem de 15 dias que nunca irei esquecer e que tenho a certeza de querer repetir.




1º Dia


A viagem e a chegada: Porto - Lisboa - Luanda


1. Voo atrasado  |  2. Sobrevoando Porto/Gaia

Depois da aflição de quase perdermos o avião Lisboa-Luanda {porque o voo Porto-Lisboa se atrasou muito}, esperavam-nos 8h de voo para acalmar e repor energias. Coisa que no meu caso não se verificou pois estava muito nervosa e sentia-me estranhíssima; descobri depois que seriam os efeitos do Mephaquin - medicamento para prevenção da malária; nessa nunca mais me apanham, venha de lá outra marca qualquer nem que custe 15 vezes mais {como é o caso do Malarone - 45€+45€ - que tomei no ano anterior e não provocou efeitos secundários}... pelo menos em mim o Mephaquin - 6€ - teve efeitos secundários fortíssimos...



Após as tais 8h a rebolar na cadeira, mudar de lugar, por de pé, voltar a sentar, venha daí mais um filme... agora uma musicola para ver se embalo... e agora WC só para ver se estico as pernas... {isto enquanto os restantes passageiros dormiam profundamente}, aterramos finalmente em Luanda, de manhã cedo, por volta das 6h00. Se tínhamos saído do Porto debaixo de chuva, ao chegar a Angola deparamo-nos imediatamente com o calor que se fazia sentir. Um calor diferente de todos os que já tinha sentido... E o cheiro da "terra"? Ainda hoje consigo sentí-lo... Foram os aspectos que melhor recordo da chegada {o ar abafado e o cheiro da terra}.
Mais uma horita e meia "escaldante" {tudo servia de leque...} no aeroporto à espera que reconhecessem os documentos de todos os passageiros... e finalmente encontramo-nos com o pai no local de chegada dos passageiros. Confesso que tinha saudades, muitas, mas estava tão ansiosa por ver as coisas "lá fora", que mal acabaram os abracinhos e beijinhos quis sair do aeroporto e respirar aquele ar.

1 e 2. "Venda" (mercado de rua)  |  3. Taxis (carrinhas Hiace azul e branca) - algumas
chegam a levar 20 pessoas e funcionam tipo autocarro,
vão fazendo várias paragens  |  4. Estrada no centro de Luanda


A chegada a Luanda é um impacto. Há tanto trânsito e um movimento tal de pessoas, buzinadelas, motinhas, motoretas, transportes esquisitos {modificados} que fiquei meia atordoada, confesso. Mas com o sentimento incrível de estar a descobrir algo completamente novo - para mim, claro. E os táxis?!? São tantos mas tantos... e vão a "rebentar pelas costuras".
Nas ruas/estradas de Luanda vende-se de tudo e mais alguma coisa, e artigos que nunca imaginaria. Desde tecnologia a sanitas, passando por alimentos, pneus, sofás... tudo o que consigam imaginar e algo mais além disso, certamente...
Em hora de ponta consegue demorar-se meia hora para fazer uns {poucos} metros de estrada... Quando ouvem falar que o trânsito de Luanda é caótico, acreditem no que vos dizem... {se bem que andando a determinadas horas não se apanha tanto movimento...}

O resto da manhã {o pouco que sobrou depois do trânsito} foi ocupado a tratar de documentos em Luanda.

Não tenho muitas fotografias deste primeiro dia em Luanda porque, na realidade, não estávamos numa de visitar, mas sim a tentar resolver uns assuntos e, portanto, a manhã foi uma correria...



{aguardem pelos próximos capítulos...}

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Pecado da Gula | Tagliatelle com atum e cogumelos

Com a chuvinha "manhosa" que caía no dia em que fiz este prato, a vontade de sair de casa para ir às compras era tanta como para fazer crochet. Então, o almoço teve mesmo de ser feito com o que havia por casa, essencialmente os ingredientes que sobraram desta receita {que aqui não se estraga nada...}. De improviso, cá vai mais uma pasta {porque é mais pomposo do que "massa"}, que por sinal ficou maravilhosa; digo eu, que gosto de "misturas"...


Ainda a fumegar...



Dificuldade: Fácil  |  Tempo: 25 minutos  |  Porções: 2 pessoas
Preço de custo: 3,50


Ingredientes:
  • 200g de Tagliatelle
  • 1 colher {sobremesa} de Azeite
  • 1/2 Pimento vermelho, picado
  • 2 dentes de Alho
  • 1/2 Cebola pequena
  • 70g de Cogumelos frescos, fatiados {usei "Paris"}
  • 1 lata de Atum
  • Espinafres q.b.
  • Polpa de Tomate q.b.
  • 150g de Queijo fresco
  • Queijo ralado q.b. {opcional; podem retirar caso queiram um prato menos calórico}
  • Sal e Pimenta q.b. 

Confecção:

Cozer a massa em água a ferver temperada com sal durante 10-12 minutos ou até estar al dente.

Escaldar os espinafres, não deixando cozer muito. Escorrer e reservar.

Entretanto, triturar {na 1-2-3} o pimento, o alho e a cebola {que previamente fatiei}. À parte, triturar o queijo fresco {desta vez triturei na 1-2-3 e ficou muito melhor}. Reservar ambos.

Aquecer o azeite numa frigideira anti-aderente e cozinhar o preparado de pimento durante 2-3 minutos. Acrescentar os cogumelos e deixar cozinhar até largarem a água. Juntar o atum e um pouco de polpa de tomate e temperar de pimenta. Deixar apurar. Por fim, juntar os espinafres e deixar cozinhar um pouco. 

Reduzir o lume, juntar o queijo fresco triturado e o queijo ralado e deixar apurar em lume muito brando, até o queijo ralado derreter. Reservar.

Escorrer a massa e misturar com o preparado anterior.





Mais uma vez, as fotografias são tiradas pelo telemóvel... e não pode exigir-se-lhe mais.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Pecado da Gula | Picadinho de Havana {Cuba}


O primeiro país a ser eleito para esta saga dos jantares temáticos a dois foi ... Cuba!!!

Apesar da nossa intenção para estes jantares, que ontem começaram, ser fazer uma entrada, o prato principal, uma sobremesa e {quando possível} uma bebida típica do país escolhido, hoje, pela falta de tempo e inexperiência, fizemos apenas o prato principal.





"Picadillo a la Habanera

Dificuldade: Fácil  |  Tempo: 40 minutos  |  Porções: 3 pessoas
Preço de custo: 6,00€


Ingredientes:
  • 450 g de Carne de vaca, picada
  • 2 colheres {sopa} de Azeite
  • 1 Cebola grande, picada
  • 2 dentes de Alho, picados
  • 1/2 Pimento vermelho
  • 1 folha de Louro
  • 1 colher {chá} de Orégãos, desfeitos nos dedos
  • 1 colher {café} de Cominhos
  • 1 lata de 390g de Tomate pelado
  • 1 dl de Vinho branco seco
  • 8 Azeitonas descaroçadas
  • 1 colher {sopa} de Alcaparras
  • 1 colher {sobremesa} de Sultanas
  • Sal q.b.

Confecção:

Limpa-se o pimento das sementes, corta-se em tiras que se picam. Picam-se também as azeitonas, grosseiramente. Põem-se as passas de molho num pouco de água e escorrem-se as alcaparras.
Leva-se o azeite ao lume num tacho com a cebola, os alhos, o pimento picadinho, a folha de louro, os cominhos e os orégãos. Mexe-se e, quando a cebola estiver translúcida, adiciona-se a carne picada. Mistura-se tudo e deixa-se fritar até a carne alourar bem, mexendo de vez em quando.
Logo que a carne estiver frita, deita-se o tomate, o líquido da lata e o vinho, voltando a mexer para misturar tudo. Tempera-se com sal, tapa-se e deixa-se cozinhar em lume fraco, mexendo de vez em quando. Escorrem-se as passas e enxugam-se.
Quando estiver quase pronto juntam-se as azeitonas, as alcaparras e as passas. Vai-se mexendo até o molho reduzir e apurar bastante.
Serve-se com arroz branco.


Receita de "O livro de Pantagruel. De Garfo e Faca à volta do Mundo"

                                                        ~~~~~~~~


Nós adoramos!! Embora pensasse que os cominhos {que não aprecio muito...} fossem dar um sabor demasiado intenso ao prato, penso que são o ingrediente-chave para sentirmos Cuba mesmo ali, à nossa frente.
Este jantar fez-me lembrar tanto um jantar que fiz em Cuba, há precisamente 4 anos, num restaurante tão bom e tão giro, com sabores únicos, empregados fantásticos e uma decoração mesmo acolhedora. Tenho tantas memórias desse restaurante como pena de não me lembrar do seu nome.

E, apesar de termos feito apenas o prato principal {na realidade eu fiz apenas o arroz, tendo o T. tratado do "Picadillo"} foi, sem dúvida, uma óptima estreia!!

domingo, 6 de abril de 2014

Das boas ideias! | Namasté

Há uns dias, enquanto me perdia pela internet a ver "casinhas de sonho", deparei-me com esta e dei por mim a sonhar com um sítio assim para relaxar...

Quando Steve Areen pensou na casa dos seus sonhos para descansar, calculou os gastos e percebeu que, sendo feita pelas suas próprias mãos, só precisaria de 6.600€ e um lugar para a construir, que um amigo lhe cedeu... na Tailândia.
Não é pouco, está certo... Mas é fantástico o que ele conseguiu fazer em apenas 1 mês e meio...
Tudo começou assim:



Com a ajuda de um amigo, Steve começou a "levantar" a casa dos seus sonhos: 



A estrutura da casa custou apenas 4.400€. Na Tailândia os materiais de construção são baratos, mas é inacreditável como ele conseguiu fazer um "recanto" tão agradável com relativamente pouco dinheiro e em tão pouco tempo.




Os detalhes da construção, assim como os móveis da casa, custaram mais 2.200€. 


Mas pelas fotos parece tudo que valeu muito a pena… Conseguiu fazer uma casinha harmoniosa e tão querida!











Mais imagens aqui.


Pecado da Gula | Novas leituras, novos sabores #3 {e novas decisões}


Ontem ao passarmos na book.it reparamos que havia uma promoção de 40% nalguns livros de culinária {fica a dica}. Claro que eu me perdi logo ali no meio de tantos livros que estavam na minha wishlist e foi uma dor de cabeça imensa para seleccionar apenas dois para trazer {curiosamente, nenhum desses}.
Mas qual não é o meu espanto quando, a meio do meu doloroso processo de escolha, o T. chega com este livro na mão.

book.it  |  12€


Pensei logo cá para com os meus botões: "O meu processo de escolha já está para lá de complicado e ainda vens dificultar-me mais a vidinha...?". Claro que só exteriorizei um "deixa lá ver...". Ao que o T. interpela com "Acho que vou levar". Confesso que fiquei espantadíssima por ele querer comprar um livro de culinária. Parece que já lhe peguei o "bichinho".

E não é que é espectacular? 
Como é que eu ainda não tinha reparado nesta preciosidade?
Passamos a noite a viajar através de pratos de todo o Mundo.
E tomamos uma decisão a dois*. Uma vez por mês {no aniversário de namoro} faremos um jantar temático, baseado na gastronomia de um país.

E pronto, o primeiro é já hoje!

Adivinham o tema/país?


* Já tinha pensado nesta ideia para os habituais jantares do grupo de amigos, mas, sendo um grupo relativamente grande, penso que não será muito fácil conciliar os gostos de todos, havendo sempre alguém que não gosta de algo, ainda por cima sendo sabores menos comuns na nossa gastronomia do dia-a-dia.  Assim vamos "treinando" e depois será mais fácil escolher os sabores mais fáceis de serem apreciados por todos.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Querido Diário | Nem mais... Já irrita!




Pecado da Gula | Granizado de frutos do bosque






Dificuldade: Fácil  |  Tempo: 5 minutos  |  Porções: 6 copos
Preço de custo: 4,95€


Ingredientes:
  • 200g de Morangos
  • 200g de Frutos vermelhos {usei congelados}
  • 2 Limões
  • 2 cálices de Vinho do Porto
  • 4 colheres {sopa} de Açúcar
  • Gelo picado q.b.
  • Folhas de Menta q.b. 

Confecção:

Deixar os frutos vermelhos a descongelar com algum tempo de antecedência.

Retirar o pé aos morangos, lavá-los bem e cortá-los em quartos {para facilitar o processo de triturar}.

Colocar todos os frutos na liquidificadora e juntar o Vinho do Porto, o açúcar e o sumo de limão. Bater bem até obter uma polpa. Só nessa altura, juntar o gelo e bater mais um pouco para que o gelo e a polpa se misturem.

Servir em copos individuais ou num jarro, pontuando com algumas folhas de menta.

Desfrutar!!


Pecado da Gula | Têm sido dias muito doces! #6


Ora aí vêm mais uns pecados que me entretiveram nos últimos dias...


Cupcakes merengados de Baunilha com recheio de Limão

Para Avó e Neta
Bolo húmido de Citrinos com recheio e cobertura
de Buttercream aromatizado com Limão e Laranja

É um 31!!
Bolo de Chocolate com recheio crocante de Creme Moka e Bolacha
e cobertura de Creme Moka

Hello Kitty da Leonor
Bolo de Chocolate com recheio de Morangos laminados e
Buttercream aromatizado com Laranja e Limão;
decorações em Pasta de açúcar

Parabéns Tia do Craçã
Bolo de Chocolate com recheio de Morangos laminados e
Buttercream aromatizado com Laranja e Limão;
decorações em Pasta de açúcar


E ainda, a 4 mãos {em parceria com a Bunyssa} saíram mais estas doçuras:



O Macaco e o Leão
Bolo de Baunilha com recheio e cobertura de Buttercream
aromatizado com laranja e limão; decorações em Pasta de açúcar

O Daniel vai jogar
Bolo de Chocolate com recheio de Creme crocante de Chocolate;
decorações em Pasta de açúcar



Os bolinhos de Páscoa {calma, não estão feitos com 3 semanas de antecedência, servem apenas exemplos no Pote d'El Rey} que andei a fazer ficam para um próximo post.


quinta-feira, 3 de abril de 2014

Estou fartinha de me rir!

E onde é que ele mete os coelhos?

Querido Diário | Do antiguinho Fotolog #1

Certamente já não se lembram do Fotolog. Pois... eu também já não me lembrava até a Lila ter falado dele aqui. E, claro, fui a "correr" relembrar o que lá tinha.

O Fotolog era uma "rede" onde, como o nome indica, se partilhavam fotos que podiam legendar-se. Para mim funcionava mais ou menos como funciona o meu blogue hoje em dia. As fotografias não eram o essencial e serviam apenas para acompanhar e ilustrar os textos. 
Publiquei durante 2 anos, mas apenas tenho 32 publicações. Era pouco assídua, portanto.
Mas estou a adorar reler o que escrevi. Claro que hoje a realidade é muito diferente, assim como as vivências, as ideias e a visão de tudo.

Segue a primeira publicação, escrita a 3/11/2008:

Porque....
Porque foste tu que me trouxeste para aqui...
Porque contigo vou para todo o lado...
Porque juntas somos mais fortes...
Porque sei que há coisas que nunca têm fim...
Porque me dás tudo o que de melhor tens...
Porque és aquela pessoa...
Porque sei que sempre serás...
Porque és A best...
Porque...
Porque...
Porque...
[Porque tinha tanto mais para dizer, mas estou sem inspiração... :D]
E porque esta foto diz tudo e não precisa de mais palavras...
Por tudo isto o primeiro post tinha de ser para ti (:
Adoro-te AMORINHA*!!!



E há coisas que não mudam, por muitos anos que passem ;)


* Amorinha?! Ahah!!! Lembras-te de quando nos tratávamos por "Amora"?

Pecado da Gula | Tagliatelle com toucinho fumado, cogumelos e pinhões









Dificuldade: Fácil  |  Tempo: 20 minutos  |  Porções: 2 pessoas
Preço de custo: 4,20€


Ingredientes:
  • 200g de Tagliatelle
  • 1 colher {sobremesa} de Azeite
  • 1/2 Pimento vermelho, picado
  • 1 dente de Alho, esmagado
  • 70g de Cogumelos frescos, fatiados {usei "Paris"}
  • 70g de Toucinho fumado, sem couro
  • 1/2 colher {sopa} de Salsa, picada
  • 250g de Queijo fresco
  • Sal e Pimenta q.b.
  • 15g de Pinhões 

Confecção:

Cozer a massa em água a ferver temperada com sal durante 10-12 minutos ou até estar al dente.

Entretanto, aquecer o azeite numa frigideira anti-aderente e cozinhar o pimento durante 2-3 minutos. Misturar o alho, os cogumelos, o toucinho fumado, a salsa e a pimenta.

Reduzir o lume, juntar o queijo fresco triturado {"esmagei"com um garfo, mas não foi o suficiente, porque ficaram alguns bocadinhos que não se desfizeram com o calor} e deixar apurar em lume muito brando. Reservar.

"Estalar" os pinhões numa frigideiraReservar.

Escorrer a massa, misturar com o preparado anterior e polvilhar com os pinhões.



E pronto... buon appetito!!


O meu prato, sem salsa ;)


As fotografias não estão grande coisa, mas o apetite era tal que não houve tempo para ir buscar a máquina fotográfica e recorremos mesmo ao telemóvel...

Gostaram?
Nós adoramos!! Os sabores combinam na perfeição e os pinhões {que normalmente não me convencem...} dão um toque... especial!

Foi uma óptima estreia do novo livro de culinária*.

* adaptado de "amo.te pasta"

Querido Diário | Bruxas que por aí andam...

... já chega, não?! Vão rogar pragas para outra freguesia.

É que ninguém merece que a cama parta às 4h da manhã.

Agora, se não for pedir muito, pelo menos deixem-me dormir {no chão}.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Fotogramas | Março'2014 em fotos

Março foi o mês do Carnaval, do respectivo jantarzinho de preparação {na noite anterior} e do convívio do próprio dia/noite/madrugada. Nós de sevilhanas, eles de ciganos. E foi mesmo uma folia!! Março é o mês de início da Primavera. Ou devia ser... Se por {raríssimas} vezes o Sol deu ares da sua graça, o mês foi muito triste meteorologicamente falando. Chuva, frio, trovoada, sol {pouco}, arco-íris, chuva, muito frio, chuva... Mas tivemos uma semaninha de verdadeiro pré-Verão que soube tãããão bem {e deixou tantas saudades}. Esses foram dias muito bem aproveitados, a "esplanadar", ver o pôr-do-sol, passear... Mas se por momentos pensei em arrumar as botas e dar às sabrinas o seu "lugar ao sol", rapidamente o tempo se inverteu e... pronto, confesso, não voltei às botas! :p  Foi um mês de novas experiências culinárias e da certeza de que as massas são o nosso "futuro". Culinariamente falando é aquilo em que melhor nos entendemos. Ambos temos prazer em confeccioná-las e, claro, em saboreá-las. Foi um mês de muuuito docinhos, uns para casa, outros "para fora" {que tenho mostrado e mostrarei num próximo post}. Março trouxe também o início da planificação da Páscoa no que toca a docinhos do Pote d'El Rey. E são tantos e tão bons. Março foi um bom mês.
Abril, por favor, trás de volta o calor!


Party time!! {Carnaval}  |  Não sei se acredito...
Outro dia de sol!  |  O que seria das comemorações sem os doces?!

Adeus botas! {ou não...}  |  Vivo no Paraíso!!
Massa chinesa à moda do Chef cá de casa  |  Primavera!!

Aproveitando o solinho  |  Novo morador
Mimos {para ele} ;p  |  Crescidinhos!

Feira de antiguidade e coleccionismo  |  Arco-íris
Tenho uma vista fantástica!  |  Preparativos